Endereço:

Av. Almirante Barroso, 22 sl 606, Centro, Rio de Janeiro

Aprenda a fazer o controle financeiro empresarial do seu negócio

Infelizmente ainda é grande o número de empresas que não realizam um controle financeiro empresarial eficiente. Essa falta de controle pode trazer problemas para a empresa, dificultando o crescimento do negócio e gerando grandes surpresas anualmente, ao analisar o fluxo de caixa.

A falta de controle financeiro empresarial pode reduzir o entendimento do empresário a respeito do seu negócio, manter ou aumentar o desperdício de dinheiro mês a mês, dar uma falsa sensação de lucratividade, quando na verdade a empresa está tendo prejuízos.

Para que você evite esse erro, decidimos criar um conteúdo com as melhores dicas para que você realize um controle financeiro empresarial eficiente.

Quer aprender mais sobre esse tema? Continue a leitura.

Como ter um bom controle financeiro empresarial?

Para realizar um bom controle financeiro empresarial no seu negócio, é preciso ficar de olho em alguns detalhes.

Separamos algumas dicas e explicamos quais são os erros mais comuns cometidos pelas mais diversas empresas, para que você aprenda a evitá-los e consiga conquistar um controle financeiro de sucesso.

1. Tenha projeções sobre os possíveis cenários

Para realizar um bom controle financeiro empresarial, é interessante que você tenha projeções sobre todos os cenários possíveis da sua empresa, identificando um alinhamento entre os gastos do seu negócio e a receita gerada.

Para isso, você precisa analisar, entender e prever o ciclo operacional do seu negócio, acompanhando o processo de fabricação, desenvolvimento e recebimentos dos produtos e serviços da empresa.

Esse processo irá permitir que você define quais são os valores de despesas em cada uma das etapas, como a compra de insumos com fornecedores, estocagem dos produtos, processo de produção, venda e até recebimento.

Entender esses dados permitirá que você confronte a receita gerada e entenda como realmente estão os lucros do seu negócio.

2. Esteja sempre ciente sobre a situação da sua empresa

O planejamento é sempre a melhor alternativa para entender a situação da empresa e ter maior previsibilidade dentro do seu negócio.

Anote tudo e organize todas as informações sobre a sua empresa. Certifique-se de que os pontos negativos e positivos do seu negócio foram bem definidos, além do posicionamento da empresa e a realidade do mercado em que ela atua.

3. Tenha uma boa rotina de controle de estoque

O controle de estoque também é fundamental para entender como está o setor financeiro da sua empresa.

É preciso avaliar o giro de mercadorias e insumos, visualizando quanto sua empresa gasta e lucra mês a mês.

Infelizmente, ainda é comum encontrarmos empresas que não possuem um controle de estoque muito eficiente, e esse erro pode está simbolizando dinheiro parado em estoques muito cheios.

Por outro lado, ter um estoque ineficiente também não é o ideal, pois ele pode simbolizar a perda de vendas e oportunidades de negócio.

O ideal é identificar a média correta para o seu negócio, e trabalhar de acordo.

4. Evite empréstimos o máximo possível

Os empréstimos podem ser tentadores, principalmente para aquelas empresas que ainda estão se estabilizando e possuem uma dificuldade grande de manter o fluxo de caixa positivo.

No entanto, essa não é a melhor alternativa para lidar com a reposição de estoque, pagamento de funcionários e tributos fiscais.

Afinal, nos empréstimos as taxas de juros acabam prejudicando os lucros da empresa, criando uma grande bola de neve, difícil de reorganizar.

O ideal é criar um planejamento em que a empresa será capaz de arcar com suas próprias despesas sem precisar recorrer ao auxílio de terceiros, utilizando apenas a receita gerada.

5. Tenha um bom relacionamento com fornecedores

Ter um bom relacionamento com os fornecedores permite que você negocie prazos e consiga algumas vantagens no dia a dia.

Aprenda a negociar com esses profissionais e avaliar prazos de pagamento que permitam que a sua empresa seja capaz de manter um caixa saudável, mesmo durante aquele período em que as entradas ainda não aconteceram.

6. Pratique o preço ideal

Avaliar o seu mercado e identificar o preço ideal para os serviços e produtos do seu negócio é extremamente necessário.

É preciso que você identifique quais são os custos envolvidos na produção dos seus produtos, distribuição e manutenção dos seus serviços e, a partir daí, definir quanto cada item custa e quais são os melhores percentuais lucrativos para a sua empresa.

Isso te ajudará a ter uma maior projeção de lucro e ainda mais previsibilidade ano a ano.

7. Separe a pessoa física e a pessoa jurídica

Para muitos empresários, é aqui onde está o maior erro. É comum confundir quais são os caixas da pessoa física e os caixas da pessoa jurídica.

Esse erro impacta diretamente no entendimento do sucesso do negócio, uma vez que o fluxo de caixa corporativo está com influências negativas proveniente de gastos pessoais, que pouco se relacionam com as despesas da empresa.

Nesse cenário, é difícil analisar quais foram os resultados financeiros da empresa, o que pode gerar um grande problema no futuro.

O ideal é garantir que o dinheiro da pessoa física, como donos e sócios da empresa, esteja separado do dinheiro da pessoa jurídica.

Pague-se através do pró-labore e garanta que as finanças do negócio ficarão separadas desses gastos mensais individuais.

8. Trabalhe com planejamento anual

Não tem problema definir metas mensais, bimestrais ou até trimestrais para o seu negócio.

No entanto, sempre recomendamos a criação de um planejamento anual, que irá nortear todas as ações da sua empresa dentro daquele ano vigente.

Esse planejamento irá permitir que você tenha maior controle de tudo que será feito no seu negócio, evitando imprevistos que desestabilizam a sua empresa e prejudicam seu controle financeiro.

Mas não se preocupe: as ações não ficaram obsoletas. O planejamento pode, e deve, ser revisto e reavaliado de acordo com a necessidade, para garantir que você escolha as ações mais adequadas para o seu negócio.

9. Analise a concorrência

Analisar a concorrência também é fundamental para fazer um bom controle financeiro.

Quanto mais você entende o seu mercado, maiores as chances de identificar como estão as expectativas para os próximos meses e entender como foi o ano dentro da sua área de atuação.

Muitos empresários torcem o nariz nesse momento, mas ficar de olho na concorrência é fundamental.

Também é interessante analisar o seu mercado de modo geral, para entender o crescimento ou o declínio do lucro dentro daquele período analisado.

Fonte: https://saiadolugar.com.br/